-->

quinta-feira, maio 29, 2014

Loba Solitária

Nesse mundo craft de meu deus, eu ainda não achei o meu lugar.

Eu amo costura. Eu amo cartonagem. Eu amo tricô. Eu não consigo fazer um crochê bonito, mas o que eu faço dá pro gasto. Eu sei ingles e não me intimido fácil. Mas, definitivamente, meu problema não é a técnica.

No mundo das costuras, já segui e parei de seguir diversos blogs! Diversos. No mundo do tricô, sempre depois que eu volto de um congresso eu fico com um gosto amargo na boca.

Eu gosto das coisas do meu jeito. Eu gosto de aprender sozinha. Eu gosto de pesquisar e ir lendo uma coisa atrás da outra, até eu me fartar! As vezes eu até pergunto nas listas de tricô, mas aquelas listas são muito limitadas e enfadonhas pra mim. (sem contar as diversas vezes que eu fico quieta para não causar polêmica desnecessária)

Mas, a verdade, é que as polêmicas não são polêmicas pra mim. Eu simplesmente penso de forma diferente! Eu não vibro na mesma frequência que a maioria das mulheres, acho que é isso.

Talvez, eu tenha ido no congresso de tricô com muita sede. Talvez eu tenha ido achando que eu fosse encontrar o Oásis de técnica perfeira que eu não acho aqui na minha terra. Talvez eu realmente tenha acreditado naquela lorota da amizade.

O que faz crescer a amizade entre duas pessoas não é o tricô entre elas. É toda uma gama de pequenas coisas em comum. Além do santo bater, né?

Nesse congresso eu senti que encontrei pelo menos 3 pessoas que vibravam mais ou menos na mesma vibração que eu. Eu não gosto de conversa jogada fora, eu gosto de discussão adulta. Eu não gosto de elogios, eu gosto de (ops) discussão adulta!

Como eu vou saber se o que eu fiz é realmente bonito, se há um exercito pronto para gritar "Lindo" a cada nova foto? Quais os padrões que eu realmente tenho que buscar?

E então eu fico pensando, porque raios eu venho aqui escrever tudo isso? Pra quem eu estou escrevendo!?

Eu não sei se tenho essa resposta, mas acho que aí no meio do deserto da internet, atrás de um arbusto qualquer, há alguém que pode vibrar na minha frequência, e estar cansada de ser sozinha, de ser loba solitária assim como eu, as vezes, também fico.

Há tardes que eu só gostaria de discutir sobre projetos futuros, agulhas, linhas e cores. Meu marido, coitado, já cansou de ser usado como ouvido ambulante para um assunto que não é importante para ele.

Ao mesmo tempo, eu gostaria de que houvessem mais blogs falando sobre tricô. Mais gente na rede falando sobre esses temas. E penso, será que se eu mexer nesse caldeirão, acaba saindo fumaça? (vamos combinar, a blogosfera do tricô, ou a tricosfera, é bem morninha, quando não foca absolutamente em vestuário de recém nascido)

E também tem o fato de que minha cabeça não para de pensar! E vira-e-mexe ela acaba voltando pra pensar em tricô, em costura, em cartonagem, nos meus projetos inacabados, nos meus projetos não começados, no meu stash.

Bom, enquanto isso eu vou seguindo em frente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário