-->

sexta-feira, maio 23, 2014

Como foi o Terceiro Congresso Brasileiro de Trico

Quero deixar primeiro, o link para os agradecimentos final do congresso [1]
Essa é a minha forma de contribuir para o crescimento da rede para aumentar a visibilidade da página do congresso, e consequentemente aumentar a "patrocinalidade" do evento.

Então, quero dizer que adorei, mais uma vez, participar desse evento nacional de encontro de tricoteiras e de fomento do trico nacional. Uso a palavra fomento mas eu queria mesmo era a usar a palavra fermento porque o que eu sinto lá é um borbulhar de novas possibilidades e um sentimento muito forte de conquista e desejo de mais conquista ainda.

Essa edição eu tive sorte de encontrar pessoas com quem me identifiquei, no meio das alunas. Achei maluquinhas do tricô, do tipo que só querem aprender e passar horas passando pontinhos de um lado pro outro. Mas também achei mulheres que vão levar esse tricô elaborado para o fundão do pais!

Tá, um fundão não tão fundão assim. Visto que o interior do estado de São Paulo ainda é estado de São Paulo e todo mundo sabe que SP é o centro do universo (=P)

Mas ainda assim, professoras de armarinho que vão lá para tentar derrubar o esteriótipo de "professora de armarinho" como se, trabalhar em um armarinho numa cidade pequena fosse ruim, por si só. Acho que as vezes as pessoas das capitais se esquecem como são as cidades pequenas.

Por exemplo. Eu não consigo achar nada que não seja Anne pra comprar aqui. Anne tem de todas as cores. Mas Bella? Simplesmente não tem! Quando tem é um novelo solitário.

Como uma pessoa pode desenvolver a sua criatividade sem exposição? Isso me fez lembrar de uma outra coisa.

Para minha grande surpresa, um dos temas para o próximo congresso com mais demanda foi "Introdução ao Ravelry".

Gente, a Valéria tem um tutorial de Ravelry [2] que é estupendo! Suponho que a pessoa que quer aprender Ravelry tenha acesso a internet, e tenha acesso ao tricô em prosa [2] por consequência, certo?

Mas parece que isso não é suficiente.

Como então, uma moça que é professora de armarinho, lá onde só a Anne chega, sem acesso ao Ravelry (que seria a porta para as dorgas mais pesadas)

E olha que são as tricoteiras que estão antenadas e vão no congresso!

Bom. Eu gostei muito. As aulas foram ótimas e me esbaldei nas lojinhas.

Sobre as aulas, uma outra postagem, essa já está muito grande ;)



[1] http://www.congressobrasileirodetrico.com.br/
[2] http://tricoemprosa.com/tutorial-do-ravelry/

Nenhum comentário:

Postar um comentário